domingo, 5 de junho de 2011

Os fardos...


Saí de casa pelo final da tarde na esperança de que os últimos raios de sol iluminassem as nuvens altas que pairavam sobre a planície. Enganei-me, precisamente por pairarem altas no céu que não se deu o fenómeno de que estava à espera, saíram-me goradas as expectativas.
O que me despertou algum interesse foi a nuvem de fumo dos fornos de carvão que pairava baixa no horizonte, como que o movimento de réptil, invadindo lentamente, a passo da noite, este pequeno pedaço terra seca.
Os fardos já não são como os de antigamente, agora cilíndricos talvez sejam mais fáceis de acomodar... tenho dúvidas, mas enfim... ao menos envolvem-nos em películas plásticas transparentes o que dá um aspecto mais natural à paisagem, ao invés de uma película opaca, totalmente branca, que populava os campos por esta altura do ano.

quarta-feira, 1 de junho de 2011